Entre Lula e Ciro, Ciro. Mas precisamos eleger um parlamento melhor


Por Pedro Cardoso*

Entre Lula e Ciro, em 2022, eu estaria mais preocupado em eleger parlamentares melhores em sua honestidade. É quase inútil um melhor presidente sem um melhor parlamento. Mas devido a paixão do brasileiro por líderes absolutos, é fundamental escolher um melhor presidente. Eu, no momento, escolheria Ciro.

UM PROJETO MAIS OBJETIVO

Não por simpatia maior por um ou outro, nem também pelas suspeitas de desonestidade de Lula que sobre Ciro não pesam – que eu saiba -; mas por me parecer que Ciro tem um projeto mais objetivo para o Brasil do que Lula. Parece-me. Outra razão é o PT. Prefiro para o momento a inexpressividade do PDT do que a vaidade do PT.

Acho que o partido dos trabalhadores se encontra dominado pelo o que de menos bom havia nele – o que é uma pena. Acho Ciro mais livre do seu partido do que Lula de seu PT, o que me parece vantajoso. Além disso, o PT precisa se desapegar do poder e voltar a fazer política na oposição, ou em prefeituras, onde foi mais íntegro do que quando chegou ao planalto.

Eleições, no entanto e tristemente, são ainda decididas pela emoção da esperança do que por escolha da razão. Assim, se Lula, por conta de sua brasilidade, além do que de bom ele fez, vier a ser a pessoa que comove meus co-eleitores, votarei nele. Mas preferia Ciro, para esse momento.

MINHAS PREOCUPAÇÃO É MELHORAR O PARLAMENTO

Mas, um ou outro, minha preocupação maior é melhorar o parlamento em sua honestidade. O Brasil tem aperfeiçoamentos fundamentais a fazer na estrutura jurídica de sua democracia; e isso é tarefa para o congresso.

Messias diz sobre a mudança na cúpula militar que “só nós sabemos o motivo e morreu aqui”.

Autoritarismo flagrante de quem considera o exército seu. Então um assunto do maior interesse público pode ser tratado como se fosse algo particular entre militares? Jamais. Eu exijo saber a razão da mudança. Todos os envolvidos são funcionários públicos que devem satisfação à população que os remunera.

Autoritários não têm nem pudor em declarar seu autoritarismo. Todos os envolvidos seriam chamados a responder se vivêssemos numa democracia melhor. Mas não vivemos. Daí ser prioridade melhorá-la. Daí eu me preocupar mais com o legislativo do que com o executivo.

SERIA UMA VITÓRIA ESTUPENDA QUE MESSIAS NÃO CHEGASSE AO SEGUNDO TURNO

Talvez eu esteja errado; e tudo o que digo neste vídeo jamais aconteça.

Talvez, justamente diante da revelação de seus crimes, o fascismo bolsonariano messiânico fundamentalista de falsa fé se fortaleça; caso seus eleitores decidam morrer pelo orgulho a arriscar serem vencidos pelo voto na esquerda.

Nesse caso, teremos então Jair contra Lula; e todas as nossas energias se concentrarão apenas na única chance que teremos: Lula. Mas ainda acho melhor para nós que a candidatura de Ciro ocupe certo vazio deixado em descontentes com Bolsonaro mas que não se animam com o PT. Será uma candidatura contaminada ainda pelo bolsonarianismo, mas nela ele não será dominante.

Por isso penso que seria uma vitória estupenda da democracia que Messias não chegasse nem no segundo turno. Ciro me parece a pessoa mais provável a substituí-lo. Mas posso estar enganado, como disse. Realmente, posso. Apenas não vejo que a candidatura de Ciro tenha força para tirar Lula do segundo turno enquanto que ela poderá vir a ter para tirar Bolsonaro dele.

É isso.

*Os textos aqui compilados foram originalmente publicados no Instagram do ator.

+ Não há comentários

Adicione o seu