Você sabe o que aconteceu um minuto depois dessa foto?


Antes de responder a pergunta do título, vamos voltar ao começo da história…

O Teatro São Luiz, que sediou o 29º Cine Ceará, é uma casa de espetáculo à moda antiga, toca três sinais antes de iniciar a exibição, sendo o último sinal o aviso para que todos se sentem e façam silêncio para o início do espetáculo.

Neste dia, a movimentação foi diferente, prestes a começar o filme, entrou uma equipe com vários cinegrafistas que se posicionaram e assim que tocou o terceiro sinal, com todos sentados e calados, entrou Fernando Haddad e uma barulhenta claque que puxou o grito com a conhecida palavra de ordem da turma.

A confusão, obviamente, suspendeu o início do filme, que teve que esperar até Haddad chegar na fileira da frente, cumprimentar os presentes e se sentar. E aí começa a parte mais embaraçosa da história, Haddad se sentou no lugar reservado, posou para as fotografias e, no minuto seguinte, simplesmente se levantou o teatro.

Haddad não só não teve a honra de prestigir a pré-estreia de Vidas Invisíveis, filme de Karim Aïnouz, escolhido para representar o Brasil na corrida pelo Oscar 2020, como, desrespeitando os profissionais envolvidos na obra e os outros presentes no teatro, usou o trabalho alheio como mero cenário para sua sessão fotográfica e para a performance da torcida que o acompanha. Deixando atrás de si, o embaraço, a vergonha alheia e possibilidade, nesses tempos estranhos que vivemos, de expor o filme gratuitamente à perseguição política.

História muito menos agradável que a do abraço que agitou as redes sociais.

 

Categorias

+ Não há comentários

Adicione o seu