Ele dirá – votai em Ciro


Texto de: Caio Barros

“Teu ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue”
Drummond

Já comparei 2018 com o ano de 1954 no Brasil. Havia tanta crise econômica e polarização social como há agora. Havia o cerco político ao getulismo, como há o cerco político ao lulismo. Havia a comoção em torno do suicídio de Vargas como há a comoção em torno da prisão de Lula. Havia um candidato com um plano de metas que ganhou com minoria dos votos e há um candidato com um projeto nacional que tende a ter uma vitória apertada. Nesse sentido, afirmei que Ciro representa Juscelino nessas eleições.

Agora precisamos voltar ao passado, mais uma vez, para justificar a previsão de que certamente Lula apoiará Ciro Gomes em agosto, antes do primeiro turno. Estamos em 1945. Reta final da campanha de Dutra à Presidência após a derrubada do Estado Novo. Dutra, outrora ministro de Vargas, atuou na deposição do ditador, que se “auto-exila” em São Borja. Por isso, Vargas o considera um traidor. Mas Dutra disputa contra Eduardo Gomes da UDN. U-D-N. A disputa acirrada. Vargas demonstrava distância do processo. Mas foi aí que a responsabilidade histórica pesou sobre os ombros de Getúlio. Vargas fora convencido por um ardente defensor do queremismo (Borghi) a apoiar Dutra. Era Dutra ou a UDN. Com a UDN viria o desmonte de todas as realizações sociais do Estado Novo e o possível envio de Vargas ao exílio. Não houve hesitação. “Ele disse- votai em Dutra”. Dutra venceu: Vargas venceu.

Voltamos a 2018. Os ombros de Lula suportam o mundo e ele não pesa mais que a mão de uma criança. Mas as discussões dentro dos edifícios provam apenas que a vida prossegue. E a vida prossegue com Lula preso e inelegível. Comparando com a situação de Vargas, a decisão de Lula é menos difícil. Ciro Gomes provou ser leal a Lula, diferente de Dutra, que Vargas considerava traidor. Dutra era bastante liberal, diferente do programa nacionalista e desenvolvimentista de Ciro.  Além disso, as perspectivas de futuro tanto para o Brasil quanto para Lula são sombrias se a direita- a UDN de hoje- vencer as eleições. Lula continuará preso. E o Brasil vai retroceder socialmente, economicamente e politicamente em décadas.

Lula, tanto quanto Getúlio, sabe de sua responsabilidade histórica. Os ombros de Lula suportam o futuro do país. Lula também sabe que não é este o momento de transmitir o apoio ao companheiro de esquerda mais bem colocado nas eleições, porque isso erodiria a unidade do PT. Ao mesmo tempo, Lula sabe que o PT não pode errar mais uma vez. O PT errou quando não assinou a Constituinte, quando ficou contra o Plano Real, quando pediu o impeachment de FHC, etc. Em outras ocasiões o PT também acertou. E esta será uma decisão que fará História. Para o bem do Brasil, no momento certo, Lula dirá: “Votai em Ciro”.

1 Comentário

Adicione o seu

+ Deixe um Comentário