O Dever da Esperança: um grupo nacional de debate do PND


Por Marcus Siqueira da Cunha

A pedido da amiga professora Mabel Oliveira Teixeira, nossa candidata a vice-prefeita na chapa do PDT no ano que passou em Pelotas/RS, vou descrever a experiência que tivemos em 2020 com a criação do grupo de Whatsapp nacional para discussão do livro “Projeto Nacional: O Dever da Esperança”, de Ciro Gomes.

IDEIA: CRIAR UM GRUPO NACIONAL PARA DEBATER O PROJETO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO

A meu pedido, o companheiro Douglas Rafael Ortiz Duarte criou, no dia 03 de julho de 2020, um grupo de Whatsapp, “O Dever da Esperança”. O objetivo era reunir pessoas interessadas em debater o livro recém lançado de Ciro pela editora Leya. Aproveitamos a divulgação em pdf oferecida pelo próprio autor para estimularmos a leitura da obra entre o maior número de pessoas, compartilhando o material e o convite ao debate em nossas redes sociais.

Muitos foram os que se mostraram interessados. Passamos, então, a colocar o link de entrada no grupo de Whatsapp. A cada um que entrava eu perguntava de onde era, qual a profissão e o nome para que pudéssemos ter um certo controle do ingresso das pessoas e evitarmos infiltrados tão comuns em grupos de debate político.

Organizamos um calendário seguindo os capítulos do livro e o divulgamos nas redes sociais. Inicialmente quinzenal, os encontros logo se transformaram em semanais. Todas as segundas-feiras, das 19h às 21h, fazíamos videoconferências com os interessados no debate daquele tema do livro.

A CONSTRUÇÃO DE UMA REDE COLABORATIVA EM TORNO DO PND

Rapidamente chegamos a cerca de 80 participantes no grupo de Whatsapp. Hoje temos 86 integrantes, mas nunca chegamos a ter mais de 20 pessoas participando concomitantemente das reuniões virtuais e dos debates. Destaque para a participação assídua e qualificada do engenheiro Gustavo Fernandes da JS PDT de Porto Alegre/RS. Gustavo apresentou o capítulo “Uma Nação Adiada”, em 3 de agosto, e, também, “A Cultura e sua Dimensão Educacional e Econômica”, em 5 de outubro, sempre de forma didática e qualificada, enriquecendo o debate.

Aliás, essa foi a metodologia empregada. Oferecemos a possibilidade de um dos integrantes apresentarem um capítulo do livro na semana seguinte. Quando ninguém se dispunha, eu mesmo apresentava aquele capítulo. Tivemos a colaboração de vários integrantes além do Gustavo Fernandes, a quem destaquei pela frequência e qualidade nos debates. Entre eles, destaco o jornalista e professor de Filosofia, Arthur Grupillo, carioca erradicado no Piauí que se prontificou a fazer atas das reuniões e apresentar o capítulo introdutório do livro.

EXEMPLO: UM PROJETO NACIONAL QUE REFLETE SOBRE O LOCAL

Logo após iniciarmos o debate do livro, em ano eleitoral, surgiu o interesse em fazermos discussões levando as reflexões para o aproveitamento no âmbito municipal. Como extrair do Projeto Nacional um Projeto Municipal de Desenvolvimento?

André Stabile do PDT de São Caetano, ABC, Paulista, apresentou o projeto de sua cidade que foi baseado no Projeto Nacional de Desenvolvimento para o Diretório do PDT de Pelotas/RS, convite aberto ao grupo de discussão. Os primeiros encontros do grupo foram: no dia 6 de julho, a primeira reunião, e no dia 13 do mesmo mês, a discussão acerca da “Apresentação de Roberto Mangabeira Unger” coordenada pelo professor Arthur Grupillo.

A REUNIÃO DE INTELIGÊNCIAS PARA DISCUTIR O BRASIL

Seguiram-se várias reuniões com integrantes de diferentes áreas do conhecimento e estados da federação. Eu que sou de Pelotas/RS, Presidente do PDT, formado em história, direito e mestre em filosofia, advogado na área previdenciária, apresentei o capítulo “Uma Reforma da Previdência Justa”, em 16 de agosto. André Winn, companheiro do PDT de Pelotas/RS, formado em artes, literatura e educação, também contribuiu ao debate. Douglas Rafael, natural de Piratini/RS, foi quem viabilizou tecnicamente as reuniões do grupo.

Vale mencionar as atuações do estudante de jornalismo, Luis Carlos Fabião, pelotense, engenheiro de projetos industriais, erradicado no Rio de Janeiro, de Marcos Pacheco, advogado catarinense, que apresentou o capítulo “Uma Revolução Educacional” e a “Cultura e sua Dimensão Educacional e Econômica” convidando a professora Lia Faria para acompanhá-lo.

O engenheiro Walter Fernandes, do PDT do Maranhão, participou também de quase todas as reuniões trazendo sua experiência em administrações do PDT, assim como o engenheiro civil mineiro, Eric Souza, Ronan Catão, militar da marinha do Rio de Janeiro, Jaci Leme, pesquisador do Butantan de São Paulo, José Magalhães, doutor em filosofia do direito na UFMG de Uberlândia, que apresentou, em 27 de julho, o capítulo “Novo Contexto Geopolítico”.

SÃO MUITOS OS QUE SE DISPÕEM A PENSAR O PAÍS:PLURALIDADE DE VOZES

Da mesma forma, contribuíram aos debates: Ubiratan Campana, formado em engenharia e direito, Vitória/ES, Helena Cardoso, bióloga, técnica em tratamento de resíduos industriais, membro do diretório do PDT de São Leopoldo/RS, William Barbosa, vigilante, de Laguna/SC, Pedro Pereira, historiador, de Florianópolis/SC, Daniel Franco Martins, bacharel em direito da UFRGS, da JSPDT de Porto Alegre/RS, o engenheiro Luciano Barros Zini, JSPDT de Porto Alegre/RS, Allan Nacif, formado em história, de Niterói/RJ.

Contamos ao longo do ano com a qualificada participação da professora de história Sueli Nazarini, de Santa Adélia/SP, de Leonardo Tomaz, estudante de direito da UFMG, secretário-geral da JSPDT/MG, de Contagem, de Tiago Celaro, de Porto Alegre/RS, Rafael Bezerra, bacharel em direito e chefe de gabinete do deputado federal Túlio Gadêlha, do funcionário público, Arthur Silva, de SP, Bruno Lima, estudante de administração da UFPE, filiado do PDT no Recife, da advogada Renata Gabert de Souza da AMT de Porto Alegre/RS.

E, não poderíamos deixar de mencionar, as participações do doutor em economia, portalegrense, Crhistian Khun, que apresentou o capítulo “Uma Nova Política industrial” no dia 14 de setembro, de Lucas Pereira, servidor público, de São Paulo, de Myriam Siqueira da Cunha, formada em filosofia e direito, doutora em engenharia de produção, docente do IFSUL de Pelotas/RS, e, por fim, do professor Marcos Moraes, mestre em ciências sociais pela UFPel, que apresentou o capítulo “Por Uma Nova Esquerda”, no dia 28 de dezembro.

MILITÂNCIA:UMA REDE CONSOLIDADA EM PROL DE UM PROJETO DE PAÍS

Avaliamos que a experiência foi muito enriquecedora e unificadora do discurso em nível nacional. Foi muito importante poder trocar ideias com pessoas de vários estados da federação interessadas no Projeto Nacional. Constatamos que existe uma homogeneidade muito grande de pensamento entre os apoiadores de Ciro Gomes e do PDT.

Embora o território nacional seja continental, todos acreditam que somente Ciro está preparado com propostas concretas e qualificado pessoalmente para enfrentar o fascismo bolsonarista e seus aliados nas próximas eleições presidenciais. Apesar disso, tudo indica que, como em 1989, nós precisaremos ganhar do PT para chegarmos ao segundo turno, não teremos o apoio deles no primeiro turno.

O DEVER DA ESPERANÇA: OS PRÓXIMOS PASSOS

Para março de 2021 estamos programando um novo formato com temas quentes. Pretendemos focar em assuntos que sejam objeto de debate na sociedade e estejam presentes no livro. Já contatamos um dos redatores do livro, o professor de filosofia da UFRJ, Gustavo Castañon, que participará de live falando sobre a confecção do livro a partir das palestras de Ciro Gomes. Pretendemos manter os debates agora em formato aberto pedindo a colaboração dos integrantes da comunidade.


E aí, ficou interessado em participar do grupo? tem uma ideia para mobilizar seus amigos ou reunir as pessoas da sua região? Quer uma dica de como reunir pessoas interessadas em transformar o Brasil? Entre em contato com conosco, ficaremos felizes em te ajudar!

#VemPraMassa