A crise dos combustíveis e a pauta econômica


Texto de: Francisco Souza

A atual disparada do preço dos combustíveis no Brasil, após o movimento de alta no valor do petróleo e de descontrole cambial no país, é mais um dos fenômenos que vão para a série “Ciro Gomes avisou” de previsões acertadas sobre o descontrole institucional que vivemos.

Pelo menos desde 2016 Ciro Gomes palestra, debate, argumenta e argumenta mais um pouco sobre a centralidade da questão do câmbio no país, a necessidade de uma política de desenvolvimento do complexo industrial do petróleo e gás e da urgência de um resgate institucional da Petrobras.

Mais uma vez, o que Ciro vem dizendo tem tudo a ver com o momento atual. Caminhoneiros em todo o país estão revoltados com os sucessivos aumentos no diesel, e os protestos contribuem para mudar o foco da discussão política das questões morais e de segurança pública para a pauta econômica.

Movimentos dispersos em corretes de whatsapp e posts perdidos já espalham a narrativa de que o aumento dos combustíveis é uma consequência de anos de corrupção do PT, ou da alta carga tributária relacionada.

Ambos os motivos são facilmente desconstruídos. É o senso comum em sua pior espécie, repetidos apenas pelos candidatos fascistas ou por aqueles que não tem o que dizer. Há uma corrente que justifica a alta dos preços devido a variação abrupta do petróleo e do dólar, mas essa tese “meirellesista” também é inaplicável a um país com mais de R$ 20 trilhões em reservas naturais prospectadas, mais que autossuficiente.

No cenário político atual, o único desmontando ponto a ponto essas teses é Ciro Gomes.

Ele já nos disse que não faz sentido um país como o Brasil extrair petróleo bruto barato, exportar e importar gasolina refinada do Texas, juntamente com outros derivados de alto valor agregado, como polímeros e novos materiais.

Já nos disse que não faz sentido a política de compadrio da gestão atual da Petrobras, vendendo ativos e obtendo lucros de curtíssimo prazo para atender o lobby dos que possibilitaram a destituição de Dilma.

Também avisou que a verticalização da cadeia de produção de petróleo e gás tornaria o Brasil menos suscetível as variações do mercado internacional, além de equilibrar a nossa balança de pagamentos.

Ciro Gomes defendeu e defende a urgente conclusão das obras nas grandes refinarias brasileiras, paralisadas desde o início da chamada operação Lava Jato, para que além da autossuficiência em petróleo o Brasil possa ser autossuficiente em combustíveis, e, desta forma, praticar preços justos e competitivos.

Ele já nos alertou que o Brasil é o único país produtor de petróleo com preços absurdos em seus principais derivados, tais como gasolina e diesel, que são sentidos nos bolsos de todos os brasileiros.

É hora de darmos ênfase as ideias. Quando converso com meus amigos, deixo claro o problema e as soluções, sem dizer quem está propondo essas medidas. O reconhecimento posterior é automático quando as pessoas escutam Ciro dizendo justamente isso.

O outro lado apresenta apenas inconcretudes e argumentos sem sentido. Diminuir impostos sem fazer reforma fiscal? Vão cortar o PIS/Cofins, tributo responsável por parte das receitas da previdência que eles dizem estar quebrada? Para ficar mais quebrada ainda?

Diminuir o ICMS dos estados que já estão falidos para eles perderem uma das principais fontes de receita?

São ideias sem sentido e sem chances de resolverem o problema sem criar outro ainda maior.

Corrupção como justificativa? Uma empresa que já apresenta balancetes com lucros trimestrais crescentes não guarda relação alguma com o escândalo da lava jato para explicar a alta dos preços.

Para além da reindustrialização do setor, Ciro propõe mudanças imediatas na gestão da Petrobras, acabando com a atual política de preços que engorda os acionistas descompromissados com o país e prejudica o consumidor. A política de “América First” é uma aberração capitaneada por Parente e cia., que precisa ser interrompida imediatamente.

A capacidade de refino no Brasil está ociosa e neste ano registramos um aumento considerável nas importações de derivados dos Estados Unidos.

Importações Comércio Exterior

Mesmo sendo um movimento atualmente encabeçado por grupos que estavam ativos no impeachment, por razões diversas é a hora oportuna para apresentar as ideias que o Ciro tem para o setor.

Nenhum outro pré-candidato está propondo uma solução concreta, portanto é dever de todos os apoiadores e simpatizantes espalhar as ideias e ajudar o eleitor indeciso e neutro a entender o problema, e não apenas lamentar a situação!

+ Não há comentários

Adicione o seu