Ciro Gomes e a terceira via: fardo ou missão?


Por Christian Velloso Kuhn

Novamente, o site “O Cafezinho” publicou um artigo que, desta vez, questiona e até decreta a invalidade da candidatura de Ciro Gomes à presidência da república. Desta vez, a autoria é de Rodrigo Perez. Não é de bom tom criticar a inteligência do autor, já que se trata de um historiador e professor. Todavia, é passível de ser questionado, contrapondo alguns de seus argumentos. As falhas do artigo podem ser sumarizadas em contradição e determinismo.

CONTRADIÇÃO E DETERMINISMO

A contradição já aparece na primeira frase, quando o historiador reconhece que há muito para acontecer até outubro de 2022. A sua leitura sobre o carisma e peso das lideranças de Lula e Bolsonaro está absolutamente correta. Porém, não se trata de candidatos invencíveis. Obviamente que não será fácil para a terceira via superá-los.

Ocorre que o autor parece sugerir implicitamente que nenhum candidato possa concorrer, como se o quadro atual fosse estático ou dado. Demonstra um determinismo na sua leitura, quem sabe por influência do marxismo, já que Marx fora criticado por Veblen, que aponta sua tentativa de prever o futuro do fim do capitalismo, como se estivesse predeterminado pelo condicionamento histórico.

DETERMINISMO HISTÓRICO NÃO SE VERIFICOU NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES

Todavia, na prática, determinismo histórico não é algo que se verifique iminentemente, sobretudo nos tempos vigentes com crises econômicas, pandemia etc. Para pegar um exemplo, Bolsonaro aparecia atrás até da Marina Silva em pesquisas de 2017, cerca de um ano e quatro meses das eleições, mais ou menos na mesma distância que nos encontramos hoje do próximo pleito eleitoral. Ela chegou a aparecer com mais de 20%. Bolsonaro acabou com 46% e Marina somente 1%. Uma lástima, já que era muito superior a vários que ficaram à sua frente, inclusive Bolsonaro e Haddad.

O que aconteceu? Ora, simplesmente Bolsonaro foi assessorado pelo consultor de Trump, fazendo uso da mesma estratégia calcada em fake news e polêmicas que elegeu o seu colega (e ídolo) norte-americano. Além disso, com a facada que sofreu na campanha, retirando-o dos debates, Bolsonaro teve uma forte ascensão nas pesquisas seguintes. Nada disso foi previsto ou considerado nas pesquisas de meados de 2017.

QUEM TEM MAIS A PERDER NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES?

Ademais, como se sustenta a tese de que Ciro esteja arriscando sua biografia ou comprometendo sua reputação ao se candidatar à presidência? Quando isso aconteceu na história recente? E como dizer que sua candidatura esteja “fadada ao fracasso”? E, com base em que, pode-se dizer que Ciro seja o que tem “mais a perder”? Como será para Lula se Bolsonaro vencer e vice-versa? Não perderão muito mais? Lula perdeu duas vezes para FHC. Se ele perder para Bolsonaro será muito pior e mais grave, já que se trata de uma figura deplorável, um corrupto genocida, com menos de 1% da inteligência, conhecimento e experiência do ex-presidente tucano.

AS CRÍTICAS DE CIRO A LULA E BOLSONARO

Adicionalmente, Ciro deixou muito claro na entrevista a Roberto d’Ávila, na Globonews, que o seu contraponto a Lula e Bolsonaro é quanto ao modelo econômico e à construção de apoio político. Ele mesmo diz que é contra a visão udenista sobre corrupção, a despeito de ser também um assunto de relevância, pois existem estudos que demonstram como compromete o crescimento e desenvolvimento socioeconômico. Talvez o autor do Cafezinho não tenha assistido à entrevista, e, por isso, não a considerou em sua análise.

POR QUE OS SITES LULOPETISTAS ATACAM CIRO?

Outrossim, está claro o incômodo que Ciro causa aos apoiadores de Lula, como os sites e blogs Revista Fórum, Brasil 247 e Diário do Centro do Mundo, a quem “O Cafezinho”, agora, parece estar se juntando.

Ciro aponta as falhas e incoerências de Lula. É uma crítica de quem conhece muito bem quem está sendo criticado. Esses sites, pela postura adotada, parecem estar querendo garantir que Lula só tenha Bolsonaro na disputa. Querem congelar o cenário atual até outubro de 2022, como se isso fosse possível e desejável. Acabam se mostrando como sendo contra o impeachment e quem atrapalha o projeto de poder de Lula. Trata-se de uma posição antidemocrática ao tentarem deslegitimar as candidaturas que antagonizam Lula.

A SORVETERIA LULOPETISTA DE APENAS DOIS SABORES

Traçando um paralelo para ser mais didático, se o ambiente eleitoral fosse uma sorveteria administrada pelos lulopetistas, teriam apenas dois sabores, como morango e creme (sem bem que no caso de Lula e Bolsonaro, esteja mais para abacaxi e coco com leite condensado). Se alguém preferisse chocolate, seria criticado e obrigado a escolher apenas os únicos dois sabores disponíveis. Assim como uma sorveteria deve oferecer uma boa variedade de sabores, os eleitores brasileiros merecem ter mais opções além do, nas palavras do Ciro, “bolsonarismo boçal”, corrupto e genocida, e do “lulopetismo envelhecido e inconfiável”. Ambos só têm projetos de poder e manutenção do status quo, do modelo econômico e do presidencialismo de coalizão.

A MISSÃO DE CIRO GOMES NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES

Finalmente, mais candidaturas permitirão que tenhamos mais debates no campo das ideias e comparação de projetos, como foi sempre desde 1989. Essa é a riqueza da democracia e candidaturas como de Brizola, Enéias, Marina e outras contribuíram à discussão de temas fundamentais e até fomentaram a construção de melhores projetos de governo.

Assim, mesmo que Ciro perca mais uma vez, quem tem mais a perder é o país, por não ter uma liderança comprometida com um Projeto Nacional de Desenvolvimento (PND) e uma renovação na política que nos dê mais esperança.

A candidatura de Ciro Gomes é muito viável, como demonstrado em artigo anterior publicado no site da Todos Com Ciro, e absolutamente necessária. Não se trata de um fardo para alguém do porte, conhecimento e experiência de Ciro Gomes. Até porque nenhum candidato está mais preparado do que Ciro para representar a missão de servir como terceira via nas eleições presidenciais. Talvez por isso que incomode tanto.

+ Não há comentários

Adicione o seu