Chomsky: “Ciro tem boas condições para liderar frente de centro-esquerda”


Ao longo de todo o processo eleitoral de 2018, o então candidato do PDT, Ciro Gomes, alertou sobre os efeitos nocivos da polarização em que se encontrava o país. De um lado, os militantes do PT, que no bojo da figura carismática de seu líder Luis Inácio Lula da Silva, angariaram inacreditável votação à Fernando Haddad, e de outro, o grupo antagonista que se formou justamente contra esse partido e que encontrou em Jair Bolsonaro seu mais perfeito representante: um produtor contumaz de bravatas, munido do discurso de regaste da moral e dos “bons” costumes da família brasileira. “Estamos dançando à beira do abismo”, prevenia o ex-governador do Ceará na ocasião.

A eleição passou, Bolsonaro foi eleito e o resto a história contará. Testemunhamos agora o profético alerta de Ciro se concretizar. E se Ciro alertou, é através de Ciro que pode vir a reação de uma oposição combativa e coerente. Em entrevista ao Jornal O Estado de São Paulo, o linguista norte-americano Noam Chomsky, de 90 anos, afirmou que a dependência excessiva do PT, hoje desgastado, levou a oposição a uma situação de apatia diante das políticas “perigosas” do governo.

Quando questionado sobre quem estaria hoje em condições de liderar uma oposição mais eficaz, Chomsky – considerado uma das principais referências acadêmicas da esquerda mundial atual -, afirmou que Ciro Gomes reúne as caraterísticas necessárias para compor uma frente de centro-esquerda.

Um líder dinâmico como Ciro poderia muito bem organizar, liderar e desenvolver uma coalizão de centro-esquerda para fazer uma oposição poderosa às políticas perigosas do governo Bolsonaro”, arrematou.
“O que você acha que acontecerá nos próximos 4 anos sem um líder progressista na oposição?

Texto enviado por Iviane Kuchpil – TCC-PR.

Categorias

+ Não há comentários

Adicione o seu